jump to navigation

…sempre atenta… vigilante sempre… maio 11, 2011

Posted by *Steph* in Bláblábá.
add a comment

Em outubro do ano passado (agora retrasado, porque esse texto era do ano passado…) eu vim aqui e postei sobre um blog que me ajudou a levantar o astral e continuar firme na luta contra as plantações de mau agouro da minha vida.

Passei um bom tempo tentando entender como é que essas plantações nasciam ali… poxa, era só dar uma bobeada que as pestes estavam lá de novo, atormentando a minha vida. Engraçado isso, né? Oras… se elas estão ali, dentro de VOCÊ… quem mais estaria plantando essas porcarias ali dentro? Simples…

Quando a ficha caiu o terreno quase todo tomado de  mau agouro… E me perguntei: ‘Onde estavam as flores que estavam bem aqui?’… pois é… adivinha?

Percebi, então, que eu precisava fazer alguma coisa além de ficar pensando nas benditas (ou malditas, sei lá) ervas daninhas… E foi aí que eu percebi… que mesmo quando a noite cai e a escuridão aparece, ainda nos resta a luz da lua para nos guiar pelo caminho. Ou como escrevi em um dos meus posts de Devaneios “a cada trovoada há um raio de luz que ilumina tudo ao redor e nos mostra qual a direção a tomar… mesmo que por pequenos instantes… o caminho está ali.”

Foi de trovão em trovão que eu tracei meu caminho. Mesmo que eu tenha medo de caminhar pelo escuro ou me apavore com o barulho dos trovões, não vou mais deixar que eu mesma me faça um mal tão grande.

É como já li no Vigilantes: “nada, nem ninguém tem poder sobre mim”

E é assim que eu vou continuar… ‘sempre atenta, sempre vigilante’, construindo minha casinha de tijolos e não mais de palha.

Anúncios

… e por falar em comidinhas… julho 28, 2010

Posted by *Steph* in Dicas.
Tags: , ,
add a comment

E, mais uma vez aqui estou, com aquele mesmo papinho bla bla bla e dando mil desculpas para ter desaparecido rsrs. Eu sempre penso em retomar as escritas, as dicas e os bla bla blas, mas confesso que insisto na procrastinação.. até que o inevitável acontece: eu volto pra cá!

Bom, chega de enrolação e mais do mesmo e vamos ao assunto do título logo, né? as comidinhas…

Acho que todo mundo que sabe cozinhar (e, o “sabe” é desde o miojão simples até o cordeiro com molho de amoras e ervas finas, tá?) e aprendeu observando a mãe ou a vó desempenhando essa tarefa deve ter sérias dificuldades em depois transformar as receitas “dá pra família toda” pra 1 ou 2 pessoas, né? (no começo em casa, por exemplo, logo que eu e o namorido juntamos era um festival de comida estragando…)

E toda a vez que você fica com vontade de comer alguma coisa mais incrementada, sai procurando receita na internet e lá vem aquelas receitas com 20 ovos, 3 kg de farinha, 1 litro de leite, que rende comida pro mês inteiro ou até você enjoar de comer a mesma coisa por uma semana seguida.

Se você se identificou muito com essa situação, vem aí a melhor dica que eu já dei por aqui. (porque foi uma dica que realmente vai fazer a maior diferença na minha vida agora! Campanha DIGA NÃO AO DESPERDÍCIO DE COMIDA)

Hoje, navegando por aí, encontrei esse blog que fica dentro do Panelinha (que, por sinal, é um ótimo site de receitas) encontrei o One is fun, um blog projetado para ajudar os solteiros (ou como no meu caso, um casal que não come como ogros rsrsrs) a fazer receitas na medida. E o melhor: com ingredientes simples e fáceis de se encontrar por aí.

As postagens também trazem dicas pra quem é iniciante na pilotagem do fogão, como “como tratar as folhas antes de fazer uma salada e como fazê-las durarem mais na geladeira (isso sim é uma dificuldade pra mim…)

O One is fun não é um projeto novo, mas confesso que nunca tinha ouvido falar de nada parecido por aí. Nem mesmo nesses últimos meses que passei igual uma louca atrás de receitas gostosas pra fazer pro namorido. Então, mesmo ele sendo um blog velhinho e o projeto já ter acabado, acho válido passar essa dica. Afinal as receitas continuam gostosas e a gente continua sem noção na culinária individual, né?

Pra quem se interessou, clique aqui.

E fica a dica! 😉

Até a próxima.

… por falar em Cupcakes … maio 26, 2010

Posted by *Steph* in Dicas.
Tags: , ,
1 comment so far

Já que um dos meus assuntos preferidos são os famosos cupcakes, aqui vai uma dica ótima que eu vi no Depois que você se foi: O Falso Cupcake.

Huuuuummmm! 😛

Pra quem não encontra os queridos na padaria do bairro e nem tem grana pra desembolsar nessas belezuras, taí uma idéia muito legal pra fazer em casa! (Eu ainda não testei, mas achei muito criativo!)

Quem fizer em casa, avisa se ficou bom, tá?

Para ver a receita, clique aqui.

Beijos pessoal! 🙂

Retomando a vida! maio 26, 2010

Posted by *Steph* in Bláblábá.
add a comment

Como todo mundo já deve ter percebido, o blog passou por um momento de silêncio absoluto. Precisava reorganizar algumas coisas na minha vida e os últimos meses não foram fáceis. E estava muito difícil vir até aqui e não escrever sobre meus problemas, minhas frustrações… e não era isso que eu planejei para esse blog. Então, a parada foi obrigatória. (Confesso! Essa fase de amadurecimento, em que a gente passa a viver a vida independente dos pais e literalmente ‘se vira nos 30’ não é nada fácil. São muitas sensações novas para aprender a lidar e muitos acontecimentos que não vão como você gostaria que fossem e precisa aprender a abrir mão das coisas sempre só do seu jeito. Enfim… são muitas coisas novas ao mesmo tempo e nenhuma asa de mãe pra poder te acolher… Mas, todo mundo passa por isso, não é? E nunca ouvi dizerem que alguém morreu por isso. Então, não vou ser a primeira, certo? :))

Espero voltar com muitas coisinhas interessantes que eu vejo por aí. Principalmente os meus favoritos: Cupcakes!

Um beijo pra todos e espero que, aos poucos, vocês voltem a acessar meu bloguinho aqui! 🙂

Quase que uma lua de mel… rs outubro 27, 2009

Posted by *Steph* in Bláblábá.
Tags: , , ,
add a comment

Já estou com saudades daqueles dias quentes, aquele sol maravilhoso e da vista pro mar… Ai que saudade! (Como eu ODEIO esse tempo xinfrim que faz aqui em São Paulo… esse friochuvasolventotudodeumavezsó ¬¬)

Assim como compramos o apto antes de noivar, saímos em lua-de-mel antes de casar… (já vi que estamos criando essa “mania” de inverter a ordem das coisas… acho que só pra dar uma de do contras… rsrsrsrs) A viagem não foi planejada pra ser uma lua-de-mel, afinal o namorido foi a trabalho!

MAAAAAS mesmo a trabalho ele conseguiu alguns dias de “folga” e a gente conseguiu visitar muitos lugares legais lá em São Luis. Enquanto o namorido trabalhava eu ia pra praia curtir aquele solzão (p*ta vida boa… viu… eu podia viver eternamente assim, ó rsrsrsrsrs)

Chegamos de madrugada em São Luis e fui conhecer o novo apto que o namorido ficaria (eu achei BEEEEEEEEEEM melhor, porque esse era na cara da praia e o outro não! Mas o namorido gostava mais do outro que era maior. rsrsrs) Depois do soninho a nossa primeira parada foi: o Restaurante Cabana do Sol. Parada obrigatória se você for pra São Luis. Comemos salmão grelhado… delícia!

Outro ponto turístico muito legal é a Avenida Litorânea (eu procurei no Google alguma coisa sobre a avenida, mas não achei nenhuma informação relevante…) são muitos km de praia e quiosques. A vista é muito muito bonita! (paramos num quiosque por ali, mas e esqueci o nome do quiosque… sorry!)

Ainda no fim de semana, acompanhados pelos “locais” (rsrsrs) Nara e Leo, fomos até uma praia diferente de tudo o que eu já vi na vida: a gente entra com carro e tudo na praia! Sai andando de carro pela areia a procura da melhor “barraquinha” pra se parar o carro, estaciona e prontinhoooo tá tudo certo pra aproveitar o sol, pedir seu carangueijo (que é um prato muito comum por lá), a cervejinha (ou, no meu caso a Coca-Cola rsrsr) e descansoooo!

O centro histórico é outra parada obrigatória, seus imóveis foram declarados Patrimônio Histórico Mundial. As casas têm arquitetura colonial portuguesa adaptada ao clima quente e úmido, com fachadas de azulejo que serviam para impermeabilizar as fachadas de taipa. A cidade é chamada (também) de Cidade dos Azulejos. No centro histórico é possível comprar souvenirs (mini azulejos, tapeçaria, mini bois, guaraná jesus…), apreciar deliciosas caipirinhas (só as do Rafa… que as minhas sempre vinham zicadas pela Maldição da Caipirinha forte… rsrsrs), petiscos e a famosa Geléia de Pimenta (eu não curto muito pimenta, mas todo mundo que apreica uma boa pimentinha disse que é ótima a geléia (y)). É no centro histórico que você consegue assistir a apresentações de Tambor de Crioula, uma  dança típica, bem africana (é difícil descrever… só vendo mesmo pra entender e se encantar) e também encontra um mercado com os famosos camarões secos e a tiquira (pinga feita da mandioca).

Para quem ficou com vontade de um pouquinho de tudo isso, segue um slideshow link (update: desculpem, não sei porque não funcionou o slideshow rsrs quando der eu vejo direitinho isso!) das fotinhos do MA. E pra mim, sobra só a saudade mesmo… (ai que vontade de chorar!!!!)

 

Em tempo: Ei… Rafa… quando vai ser nossa segunda lua-de-mel, hein??? =D

Beijos pra todo mundo.

Vigiando… outubro 21, 2009

Posted by *Steph* in Dicas.
Tags: , ,
add a comment

Entre uma digitadinha e outra me bate uma saudade imensa daquele calorzão que fazia em São Luis, sinto saudade de olhar pela janela e ver os barcos lááááá longe no mar e de, de vez em quando, ver uma ou duas gaivotas brigando pra ver que pegava o peixe que tava dando mole. (mas… bahhhh quem não sentiria falta?) O post sobre a viagem já deveria estar pronto, mas sabem como é, né? (é… esse “sabem como é” é sim uma desculpa esfarrapada para não ter que assumir que eu não escrevi nada mesmo… me faltou inspiração nos últimos dias – FATO – mas ainda assim sinto vergonha de mim mesma por não ter escrito ainda! rsrsrs)

Há algum tempo eu conheci um blog que me ajudou muito a levantar o astral. O Vigilantes da Auto Estima surgiu com a proposta de uma escritora que se comprometeu a vigiar sua auto estima por 365 dias e no blog ela vai contando como vencer nossas próprias barreiras e dá umas dicas bem legais.

Pelo blog percebi que grande parte do que nos deixa pra baixo são coisas que nós mesmos criamos como pequenas plantações de mau agouro. E que muita coisa pode ser evitada se a gente simplesmente se cobrar menos, se amar mais e ser sincero com tudo e todos. (E, às vezes, não adianta todo mundo te dizer que “vai ficar tudo bem” e nem dizerem a solução pros seus problemas… às vezes a gente precisa tirar essas conclusões sozinhos, no nosso tempo… mesmo que depois a gente pense: Porquera! Bem que eu deveria ter ouvido o fulano!)

Se você está pra baixo, com sua estrela se apagando, dá uma passada por aqui.

Aproveitando a deixa: hoje minha casinha é de tijolos e nada irá me derrubar! E que venha o Lobo Mau!

Back to work setembro 30, 2009

Posted by *Steph* in Bláblábá.
Tags: ,
1 comment so far

Esse post deveria começar com a cena de uma estrelinha triste se apagando, tentando resgatar lá do fundo do potinho suas boas lembranças na esperança de que aquele vazio fosse preenchido apenas por coisas boas. E, não, não… eu não desisti de escrever (viu, Carol!). Nem mesmo deixei que minha estrelinha se apagasse. (E, mais uma vez, preciso agradecer imensamente o sr. namorido noivo, pois nesse período de trevas ele foi fundamental para me manter sã e me sentindo amada, respeitada, sempre me dando força pra não deixar o baixo astral me pegar. Por isso e por muitas outras coisas: Obrigada, amor! Por tudo que você tem feito por mim.)

Esses 2 meses de ausência não foram apenas um coffee break. Fiz uma viagem de “férias” com o namorido (viagem inesquecível, que mereceu uns 20 mil posts contando cada diazinho, mas por falta de computador e internet, não deu… mas tem muitas fotinhas pra contar história… e isso eu conto daqui a pouco!), fiquei uns diazinhos em casa caçando emprego (e, devo confessar que cheguei a pensar que minha vida na publicidade estava com os dias contados… ), cuidei um pouco da minha sobrinha (com direito a levar no parquinho pra brincar na gangorra e no balanço… mas só um pouquinho em cada, porque a criatura é hiperativa e não se contenta em ficar horas balançando… rsrsrs), até me aventurei na cozinha alguns dias (e realmente me desculpem por isso, mas acho que foi a causa das tempestades desses dias atrás… rsrsrs)… enfim… foi muita coisa em pouco tempo ou pouco tempo pra muita coisa ou muito tempo e muita coisa… sei lá, como queiram.

Então depois desses dois meses de ausência, estou de volta pra contar novos causos (e alguns antigos, porque eu ainda vou querer falar das “férias”)! E pra voltar a dividir as baboseiras que eu penso sobre as muitas coisas que acontecem por aí!

Obrigada por não terem me abandonado nesse meio tempo.

Beijos e até daqui a pouco! 😉

A estrelinha apagada julho 27, 2009

Posted by *Steph* in Bláblábá.
Tags:
2 comments

Hoje eu acordei com uma sensação estranha. Sensação de que perdi uma coisa muito importante no meio do meu fim de semana… Mas, o que foi que eu perdi mesmo?

Acho que perdi minha auto-estima…. por aí, sei lá. Tenho me sentido fraca, impotente, perdida. (E é claro…. depois de juntar toda a coragem que me restava e pedir demisão…. enfim… o sentimento de vazio já era esperado mesmo. Mas…. puxa… que sentimento mais xinfrim…)

E tô incomodada com esse vazio sem sentido (ou será que tem um? … hummm pois é… o_O)

Bom… agora… depois de todos os acontecimentos, tá na hora de me recolher, parar de fazer mimimi e tentar organizar as coisas nessa cachola de forma positiva. Sinto que minha estrelinha acordou apagada hoje.

Por hoje, só o desabafo mesmo. Nada como escrever. Até porque, assim como a Carol, “eu escrevo porque não tenho coragem de fazer terapia“.

* Missão: Pedido de Demissão – Completed * julho 23, 2009

Posted by *Steph* in Bláblábá.
Tags:
add a comment

Pois é!!!

Hoje o post é pra comemorar mais um passo dado! Incrível como esse ano foi marcado de grandes conquistas e superação de traumas e restrições que eu tinha. (Bem que minha mãe sempre disse: “Quando você crescer você vai ver!” Nada como a sabedoria e experiência maternal.)

Não que eu tenha aprendido muita coisa (muito menos do que eu gostaria de ter aprendido), mas não posso reclamar de tudo que rolou nesses últimos 12 meses.

Na terça-feira finalmente tomei coragem e pedi demissão de onde eu trabalhava. E consegui tomar a decisão sozinha, assim, de repente.

Passei semanas (pra não parecer exagerada… porque foram meses) me estressando e me sentindo (como diz a Thais) “o cocô do cavalo do bandido”. Tudo já parecia tão grande, tão monstrengo… eu mesma estava monstrenga, nem me reconhecia mais.

A distância do Rafa na estadia dele no Maranhão (2 meses longe), a minha fragilidade frente à problemas anteriores aqui no serviço (e acho que isso merece um post sozinho, porque preciso falar e pode ajudar muitas pessoas que passam pelo mesmo problema a se defender – prometo que vou fazer uma pesquisa e escreverei sobre o causo) e muitas outras decepções que decorreram nesse meio tempo fizeram de mim uma Steph doida, cheia de neuras e estranha… muito estranha.

E as coisas começaram a sair do profissional, e meus motivos começaram a ser simplesmente emocionais, com direito à shows de choradeira e xingos e berros e tudo aquilo que vocês devem ter também quando xilicam… E, xilicar já não era uma coisa que acontecia de vez em quando, acontecia de vez em sempre… Fiquei doida… ixi…

O mais engraçado (ou não!) é que quase destruí tudo que contruí com o sr. namorido (agora noivo) discutindo coisas e mais coisas, me sentindo tão incompreendida… pedindo pra ele paciência…

… e em uma reunião como as de sempre (daquelas que não me acrescentavam nada, nem resolviam nada, serviam apenas para ficar discutindo coisas sem sentido e fazer você se sentir ainda mais “o cocô do cavalo do bandido”), me caiu a ficha. Percebi o porquê de todas as coisas, uma a uma. (Parecia que o orelhão onde eu tinha colocado as minhas fichas tivesse desemperrado de uma vez só e as fichas começaram a cair como se eu tivesse ganho naquelas maquininhas de aposta de R$ 0,25 rsrrs)

De repente, tudo fez sentido. E me dei conta de que a ânsia de sair daqui correndo não era por coisas pessoais, nem por me sentir o tal do cocô… Mas era porque eu não estava mais crescendo profissionalmente, não aprendia mais nada, cheguei à um ponto onde eu só ensinava, ensinava e nunca saia do lugar onde estava. Vi as oportunidades chegando e do mesmo jeito que chegaram, foram embora. E sou uma profissional em início de carreira… preciso aprender, preciso de novos desafios e novas experiências.E preciso crescer. (quando eu falo crescer, estou falando não só profissionalmente. Aprendi que toda experiência profissional traz grandes mudanças pessoais. O contato com pessoas diferentes, com pensamentos e experiências diferentes, isso ajuda muito a construir na mente um: ‘O que eu quero e não quero pra mim’.)

Nunca me disseram que ser adulto era fácil. Acho que com o tempo a gente vai pegando os truques de como, quando e o que fazer. Mas apesar de tudo, acho que estou dando passos na direção certa! E, sem dúvidas, tenho muito o que comemorar por mais esse tabu quebrado na minha vida. (E mais do que um tabu, consegui resolver um problema de forma racional – coisa que eu julgava praticamente impossível pra mim. Ok. Venci meu próprio obstáculo. \o/)

Pra todo mundo que teve a maior paciência comigo nesse momento difícil: Muito obrigada pela força.

E pro sr. namorido: Obrigada por me amar, mesmo eu me tornando uma monstrenga desanimada, mal trapilha e desarrumada.

(Vixe maria o_O …. desembestei a escrever!! rsrsrsrs O que só comprova minha teoria de que só consigo escrever quando estou de bem comigo mesma! Yes, we’re back!!!! \o/)

Just a litlle coffee break…² julho 16, 2009

Posted by *Steph* in Bláblábá.
Tags:
add a comment

Eu sei, eu sei…. já faz um tempão que eu não passo aqui. Logo agora que eu estava tão empolgada, escrevendo quase que diariamente.

E de lá pra cá, muita coisa aconteceu. E ao mesmo tempo, nada aconteceu. É, essas últimas semanas foram repletas de inversos e reversos. Uma gangorra de sentimentos, espectativas, decepções, alegrias e tristezas.

Ainda estou tentando fazer com que as coisas boas sejam maiores que as ruins. E grande parte do êxito nessa missão eu tenho que creditar ao Rafa, que desde o Maranhão têm me ouvido reclamar, choramingar e espernear. Eque quando voltou, trouxe com ele a malinha com a minha felicidade que eu tinha deixado lá. Parece que do dia pra noite, tudo se resolveria, simplesmente porque ele estava aqui e nada mais ia me atingir. Não que eu tenha sucumbido com a ausência dele (quase! rsrs), mas devo admitir que a presença dele me dá muito mais força do que eu achava que poderia ter.

Então, nesse pequeno coffee break, estou aproveitando pra garimpar novas boas lembranças.

Eu agradeço muito mesmo todo mundo que mesmo com a minha ausência continuaram acessando o blog. E esse é o motivo de querer voltar a escrever logo.

Mil beijos pra todo mundo. E daqui a pouco venho com os Aleatórios do mês.

Beijos