jump to navigation

…sempre atenta… vigilante sempre… maio 11, 2011

Posted by *Steph* in Bláblábá.
add a comment

Em outubro do ano passado (agora retrasado, porque esse texto era do ano passado…) eu vim aqui e postei sobre um blog que me ajudou a levantar o astral e continuar firme na luta contra as plantações de mau agouro da minha vida.

Passei um bom tempo tentando entender como é que essas plantações nasciam ali… poxa, era só dar uma bobeada que as pestes estavam lá de novo, atormentando a minha vida. Engraçado isso, né? Oras… se elas estão ali, dentro de VOCÊ… quem mais estaria plantando essas porcarias ali dentro? Simples…

Quando a ficha caiu o terreno quase todo tomado de  mau agouro… E me perguntei: ‘Onde estavam as flores que estavam bem aqui?’… pois é… adivinha?

Percebi, então, que eu precisava fazer alguma coisa além de ficar pensando nas benditas (ou malditas, sei lá) ervas daninhas… E foi aí que eu percebi… que mesmo quando a noite cai e a escuridão aparece, ainda nos resta a luz da lua para nos guiar pelo caminho. Ou como escrevi em um dos meus posts de Devaneios “a cada trovoada há um raio de luz que ilumina tudo ao redor e nos mostra qual a direção a tomar… mesmo que por pequenos instantes… o caminho está ali.”

Foi de trovão em trovão que eu tracei meu caminho. Mesmo que eu tenha medo de caminhar pelo escuro ou me apavore com o barulho dos trovões, não vou mais deixar que eu mesma me faça um mal tão grande.

É como já li no Vigilantes: “nada, nem ninguém tem poder sobre mim”

E é assim que eu vou continuar… ‘sempre atenta, sempre vigilante’, construindo minha casinha de tijolos e não mais de palha.